Df Projetos, arquitetura e design de interiores

ARTIGOS

artigos, que falam de grandes artigos Digo-lhes hoje, meus amigos, embora nos defrontemos com as dificuldades na arquitetura, de hoje e de amanhã, que eu ainda tenho um sonho. E um sonho profundamente enraizado num sonho transformador.

Revitalização do Centro de Bituruna/ arquitetura e urbanismo!

 obra urbanistica!

 

© Fernando Caldeira de Lacerda
  • Arquitetos

    Arquea Arquitetos · Perfil do Escritório
  • Localização

    Bituruna – Paraná, Brasil
  • Autores

    Fernando Caldeira de Lacerda, Pedro Amin Tavares, Bernardo Richter e Fernando Antonio Canalli
  • Coautor

    Sérgio Tóquio
  • Ano do projeto

    2013
  • Fotografias

    Fernando Caldeira de Lacerda
  • Colaboradoras

    Carolina Bebik e Helena Engelhardt Wenzel de Carvalho
  • Projeto Estrutural

    Norimasa Ishikawa
Guardar no Meu ArchDaily

© Fernando Caldeira de Lacerda

© Fernando Caldeira de LacerdaRevitalização do Centro de Bituruna/ arquitetura e urbanismo!

Do arquiteto. O projeto está localizado no centro de uma pequena cidade do interior do Paraná chamadaBituruna. A economia local é baseada na extração e beneficiamento da madeira além da produção de vinho e derivados da uva pelos muitos imigrantes italianos, maioria na cidade.

Guardar no Meu ArchDaily

© Fernando Caldeira de Lacerda

© Fernando Caldeira de Lacerda

Estabelecemos três objetivos fundamentais para que o projeto de revitalização do centro obtivesse sucesso:

-Tornar a cidade mais viva, com pessoas se encontrando de noite e de dia todo dia;
-Melhorar a conversa, criar espaços de encontro e troca entre as pessoas;
-Melhorar a autoestima da população, fortalecendo a identidade através da valorização da cultura local.

Guardar no Meu ArchDaily

© Fernando Caldeira de Lacerda

© Fernando Caldeira de Lacerda

Para isso é necessário compreender o “DNA” da cidade e traduzi-lo em arquitetura. Desenvolvemos um novo mobiliário urbano, todo madeira local, que além de ser uma atitude sustentável também é um material já impregnado na cultura local. O projeto também resgata a arte paranista, movimento artístico de afirmação da cultura paranaense, que surgiu no final do século 19. Utilizamos nas obras, referências locais como a grimpa e o pinhão, desenhados em pedra portuguesa, e a araucária na grande cobertura da praça. Vasos e postes que lembram a casa de uma avó italiana criando uma atmosfera de charme e acolhimento.

Guardar no Meu ArchDaily

© Fernando Caldeira de Lacerda

© Fernando Caldeira de Lacerda

Buscamos através da arquitetura estabelecer a cultura do encontro, fortalecendo a idéia de que o espaço público é um espaço de permanência e convívio. No calçadão, estares formados com bancos e um tapete de pedra portuguesa formam bons ambientes de conversa. Na esquina onde fica a escola, uma pequena escada de acesso da espaço a uma grande escadaria sombreada por um pergolado de madeira. Um lugar propicio para os alunos sentarem e conversarem enquanto esperam seus pais.

Guardar no Meu ArchDaily

© Fernando Caldeira de Lacerda

© Fernando Caldeira de Lacerda

A praça é um ponto importante do projeto, onde ocorre semanalmente uma pequena feira gastronômica, além de ser a entrada e a saída da cidade, onde fica a rodoviária. A cidade precisava de algo forte para reviver, algo novo e que fortaleça a cultura local, sendo assim, criamos a Praça do Fogo. Uma imponente estrutura de madeira inspirada no desenho da araucária, com 256m² e 9m de altura, abriga e aquece a população durante as noites de inverno com uma fogueira pública ao centro.

Guardar no Meu ArchDaily

© Fernando Caldeira de Lacerda

© Fernando Caldeira de Lacerda

No fim, observamos a arquitetura cumprindo uns dos seus papéis mais importantes, acolhendo.

Gostou do post? Comente!

%d blogueiros gostam disto: