Integrando pessoas e processos na arquitetura

Integrando pessoas e processos na arquitetura

Integrando pessoas e processos na arquitetura O tempo é algo muito valioso, mas ainda existem empresas que gastam muito tempo em processos manuais. Utilizar planilhas de controles paralelos, feitas até mesmo no Excel otimiza muito o controle de absenteísmo, produtividade e entre outros.

Algumas empresas ainda possuem arquivos de currículos físicos, mas o tempo que o RH perde em procurar um arquivo ele pode fazer filtros em uma planilha, entrar em contato com o candidato e agilizar as entrevistas.

Entendemos que as empresas que recebem currículo físico pensam nas pessoas de mais idade e que não conseguiram acompanhar a evolução.

Muito se fala de RH estratégico, mas poucas empresas entendem que inclusão social também é tarefa do RH, como por exemplo ensinar as pessoas com dificuldades de fazer um currículo online, onde isso pode ser feito pela própria recepcionista, inserindo as informações em um banco de dados da empresa.

Integrando pessoas e processos na arquitetura

Sem sistema integrado, muito tempo é gasto de forma manual, gerando retrabalho e custos. Quando acontece um erro em uma folha de pagamento por exemplo, ocorre um desequilíbrio na empresa, entre o funcionário, o supervisor, a contabilidade e o RH. No trabalho manual o risco de erro é muito maior.

Quando se trabalha com planilhas que mostrem tudo de forma ampla as informações e indicadores, prazos, multas, artigos, se torna mais rápido a solução de eventuais problemas.

As planilhas automatizadas facilitam muito o dia a dia dos gestores na apresentação de resultados, acompanhando diariamente absenteísmo, férias no mês, rotatividade, horas extras, doença, acidente ou afastamento, produtividade, desempenho.

Uma forma de integrar pessoas e processos é ter um portal do RH na empresa, contendo informações como:

Gestão de cargos e salários: clareza do que o profissional precisa se desenvolver para chegar em uma determinada posição.

Recrutamento e seleção: agilizando na triagem, colocando pré-requisitos como cursos, distancia da empresa, grau de instrução, pessoas com deficiência, entre outros.

Frequência: controle de ponto assertivo e banco de horas.

Benefícios: controle eficaz com datas de liberação.

Folha de pagamento: mais segurança, por ser bem calculada.

Avaliação de desempenho: dados de desempenho para premiação ou promoção.

Treinamento e desenvolvimento: acompanhando os colaboradores, identificando as dificuldades e necessidade de reciclagem.

O Rh é muito mais do que uma área de custos e sim de apoio.

Não somente as empresas precisam se preparar automatizando os seus sistemas, mas também os funcionários para acompanhar as evoluções.

Gostou do post? Comente!